Mirian Bottan@mbottan

Dando um pau na bulimia 👊🏻💥
#ProjetoVIDÃO - porque a vida pode ser bem mais que um eterno projeto verão! 💜🌈🌞🤘🏻
✉️ contato@mbottan.com

youtu.be/u72QcKxs99w

662 posts 645,220 followers 338 following

Mirian Bottan

Quando recebi esse post num grupo e fiquei sabendo que nos comentários do post original todas as pessoas estavam escolhendo a “pílula azul” (passe para o lado), me bateu uma tristeza. Na verdade acho que o que mais me impressionou foi o fato de uma delas até estranhar a possibilidade de alguém preferir um amor pra vida toda em vez de um “corpo trincado”.
E eu que achava que as pessoas queriam um corpo dentro do padrão por acreditar que isso traria amor... Mas se não é nem o amor, o que é que a gente tá buscando? A admiração de pessoas desconhecidas, ou que não vão nem ficar? O que aconteceu com a gente, pros nossos desejos ficarem tão esvaziados de sentido e sentimento?
Sei lá... se eu tivesse que escolher, não pensaria meio segundo: eu e meu corpo somos mais felizes quando amamos e sentimos o amor. Deixo a admiração fria pros troféus. E você?
.
Obs: pelos comentários vi vários motivos válidos pra não escolher um amor. É só que pra mim, que por tanto tempo valorizei a aparência em detrimento das relações (e nem falo só das românticas), hoje o que importa é sentir e trocar mais com as pessoas da minha vida, não mais focar em moldar meu corpo. Esse post não é uma regra, nem uma verdade absoluta, é só uma conversa, proposta por alguém que hj tá finalmente curtindo o amor (por si mesma, pelos outros e pela vida) 💜
.
Imagem via @nutri_comportamento


1,700

Mirian Bottan

Hoje me peguei xingando enquanto depilava o buço e lembrei dessa tirinha. 🗣(👈🏻 emoticon temporariamente ressignificado para representar a dor do buço)
Lembrando que não é uma crítica a quem faz procedimentos ou rituais de beleza, o buraco é bem mais embaixo: a gente nasceu e cresceu num mundo que meio que não nos deu outra opção, né? Porque se a gente pudesse escolher entre se depilar ou não, entre usar maquiagem ou não, aí tarra ótimo! O problema é que ainda hoje quem escolhe não cumprir essas regras é apontada por muita gente como “desleixada”, menos digna de respeito, menos mulher. Opção é quando a gente pode decidir depilar ou deixar os nossos próprios pelos crescerem e viver em paz dos dois jeitos. Se com certeza vão chamar a gente de nojenta por deixar crescer, a gente acaba nem pensando, só vai lá e depila, sem nunca se perguntar por que é nojento em nós e neles não.
Mas como quem banca tudo isso emocional e financeiramente somos nós, é até um ato de carinho com a gente questionar ao menos até onde queremos ir, ou se estamos gastando o mesmo tempo e dinheiro com os sonhos que não tem a ver com a beleza. Mais: se estamos nos permitindo ter sonhos além da beleza. Será que estamos? Você está? #projetovidão #beleza #pressãoestética
.
Tirinha por @helodangeloarte


3,127

Mirian Bottan

O que te impede de se querer?
.
.
Poema de @nayyirah.waheed 🦋✨


326

Mirian Bottan

22:
Bêbada me fotografando no espelho pra chamar a atenção do cara que eu gostava, com o corte e cor dos cabelos iguais aos das meninas com quem ele me comparava, bulímica, abusando do álcool, gastando todo o meu dinheiro com roupas e acessórios e maquiagens e procedimentos estéticos na tentativa de ser a princesa mais perfeita do pedaço e merecer o amor de “príncipes” abusivos.
32:
Largada num barco curtindo o verão sem pose com o cabelo que eu gosto, o corpo resultado da vida que eu gosto, tranquila e feliz sendo fotografada pelo cara que caminha ao meu lado porque me ama por ser quem eu sou, e não apenas se eu for como ele quiser que eu seja.
Nesses dez anos o que mudou mesmo foi entender que existia alguém dentro de mim, com gostos e sonhos próprios, com problemas e dores que não eram frescuras e com o direito de ser respeitada e cuidada não só pelos outros, mas principalmente por mim mesma. 💜✨
E você, o que aprendeu nos últimos dez anos?
#10yearchallenge #projetovidão


3,331

Mirian Bottan

Como vocês sabem esse sempre foi meu perfil pessoal, e quando comecei a falar sobre meu transtorno alimentar e sobre tudo que ia descobrindo durante o tratamento, o perfil cresceu muito (sinal inquestionável de como realmente precisamos falar sobre tudo isso). E apesar de eu amar compartilhar esse processo com vocês, esse ano fui percebendo que na ânsia de “merecer” essa audiência e carinho eu comecei a me desrespeitar, indo além do meu limite emocional muitas vezes para estar presente, produzir e corresponder às expectativas de milhares de pessoas. Esses dois meses longe me ajudaram a acalmar a mente, olhar para mim mesma com carinho outra vez e lembrar que é preciso respeitar os momentos em que não tenho energia/força/estabilidade para me doar, ou até mesmo os momentos em que simplesmente não tenho nada a dizer.
Vocês sempre me perguntam como é isso de se amar, e hoje, mais do que nunca, eu tenho uma dica muito clara e valiosa: comece por dentro. Procure ajuda profissional para investigar e enfrentar seus próprios sentimentos em voz alta, se conheça, entenda como a sua história te transformou na pessoa que você é hoje, perdoe o fato de não ser perfeita e não dar conta de tudo, entenda quais cobranças são externas e não têm nada a ver com o que realmente te faria feliz.
E eu te prometo que quando você entrar de cabeça nesse processo, vai entender que amar o seu corpo é só uma parte, até bem pequena, dessa revolução poderosa que é aprender a amar a história inteira de quem você é 💜🌞 #projetovidão
.
.


1,832

Mirian Bottan

Os últimos meses foram um caminho de muito aprendizado, mas por uma via difícil de percorrer: a depressão. Começou durante as eleições, o clima de tensão e ódio foi me fazendo perder o apetite (na época até falei sobre isso por aqui e recebi muitas mensagens de pessoas que se identificaram). Aos poucos, fui desanimando e perdendo a vontade de aparecer, de sair de casa e de fazer coisas que gostava. Do nada a cabeça doía, o peito apertava e o estômago embrulhava. Dormia muito ou não dormia nada. No meio disso, um problema familiar esgotou minhas reservas de energia e terminou de me derrubar: eu me sentia paralisada, exausta, nada parecia fazer sentido. Por uma semana só chorei e dormi.
Precisei chegar aí para perceber, porque subestimei todos os sinais. Pensei que já sabia lidar depois de ter passado por tantas crises, que dessa vez não ia me pegar. Mas como falei, fica o aprendizado. Não dá pra dar mole para os transtornos mentais. Mesmo quando tudo parecer incrível, é preciso seguir cuidando para que os sintomas continuem longe. Algumas coisas que ajudam na prevenção são: alimentação nutritiva (o cérebro precisa de nutrientes pra funcionar direito), prática de exercícios físicos (150 minutos por semana reduzem em 32% a probabilidade de desenvolver a doença), meditação (existem grupos e aplicativos que podem te ajudar), moderar o uso das redes sociais (que já sabemos que podem ser muito nocivas para a saúde mental) e buscar acompanhamento psicológico (lembrando que existem programas e instituições que disponibilizam atendimento gratuito ou mais acessível, procure na sua cidade!)
Mas mais importante que tudo, se você for parar naquele lugar onde parece que não existe saída, tente se lembrar de apenas uma coisa: vai passar. Você já esteve lá, já saiu, e vai sair outra vez. É por lembrar disso que estou de volta, e sempre estarei, mesmo que eu suma um pouco pra cuidar de mim.
Muito obrigada por todas as mensagens, já falei que não tenho nem roupa pra tanto carinho que vem daí do outro lado da tela 💜
Que no próximo ano (e no resto da nossa vida) a gente tenha saúde, a companhia de algum amor e muita fé em que dias melhores sempre virão. Até 2019 🍀🌈
.


1,809

Mirian Bottan

É uma situação triste e difícil, mas eis o que podemos fazer para começar a buscar uma mudança: entender que isso NÃO É NORMAL e que não precisamos aceitar caladas humilhação e constrangimento só porque vem das pessoas que amamos. Ser magra não é uma condição que você precisa cumprir para ser amada e a errada nessa história NÃO É VOCÊ!
Não se cale diante desse tipo de violência, explique como se sente! Talvez essa pessoa nunca tenha pensado no que as palavras dela te fazem sentir.
Mas se não adiantar, se a sua dor parecer não significar nada, procure apoio psicológico para decidir com calma como agir. Você pode e deve se proteger de comentários e “opiniões” que destroem sua autoestima, mesmo que eles sejam feitos com boas intenções, tentando “te ajudar”. Não permita que a falta de consciência alheia te destrua, procure ajuda profissional e investigue/entenda/desenvolva sua relação com a sua própria aparência e com essas pessoas que te constrangem. Empoderar-se emocionalmente vai te ajudar a não aceitar a opinião do outro como se fosse a sua realidade. Porque, dica: ela não é! ⚡️💜 #projetovidão
.
.


1,132

Mirian Bottan

Eu queria ter falado muito mais sobre as eleições por aqui. Não deu. Esse perfil é também sobre ansiedade e depressão e ambos os quadros, que me bagunçaram metade da vida, nas últimas semanas me roubaram a fome, o sono, as forças, a esperança. Me afastei daqui e fui falar de política cara a cara, na vida real, porque estar atrás de uma tela desperta a coragem para a violência em muita gente e eu estava me agarrando com unhas e dentes a uma minúscula vontade de ter vontade de continuar. Mas aos 45 do segundo tempo, respiro fundo e me recuso a ter apagada pelo medo também a minha identidade, que recuperei depois de muito trabalho duro revirando a montanha de merda que nossa cultura machista colocou sobre mim.
Pra quem me acompanha, meu posicionamento não deveria ser novidade: não voto em quem despreza mulheres. Nossa luta por liberdade e respeito não será feita com a ajuda daqueles que nos separam entre “belas e feias”, dizem que somos “tops” quando servimos ao jogo e nos oferecem ração na tigela quando somos oposição, acreditam que algumas merecem o estupro e negam o viés cultural da violência contra a mulher. Nesse momento, meu voto seria de qualquer chapa que estivesse do outro lado de tanto atraso e preconceito.
Mas para muito além disso: a favor da liberdade de ser e pensar diferente sem ser preso ou varrido do país, pela garantia dos direitos básicos conquistados até aqui, para que grupos historicamente excluídos possam continuar lutando por igualdade em vez de se curvarem ou desaparecerem, pela proteção ao meio ambiente e por um chefe de estado que não exalte violência, tortura e morte, meu voto amanhã é @fernandohaddadoficial, com @manueladavila vice.
#haddadsim #elenão


2,043

Mirian Bottan

Um texto OBRIGATÓRIO para o momento atual! Repost @cecilia.dassi 👇🏻
.
Essa tendência neurológica se chama "viés de confirmação". Lidar com a complexidade dos fatos demanda MUITA energia. Encontrar informações que desmentem aquilo no que acreditamos traz muita frustração, desconforto e necessidade de reflexão e transformação. Quando nos identificamos com alguém ou com uma ideologia, nos "misturamos" com a imagem que temos daquela pessoa ou daquela ideia e, quando aquela pessoa/ideia é questionada ou mostra ser pior do que esperávamos, levamos na pessoal: é como se NÓS estivéssemos errados, tivéssemos escolhido errado, pensado errado. Ninguém quer estar errado, sentimos que isso coloca em xeque nosso valor (na verdade não coloca, não, pelo contrário, mas nosso cérebro acredita nisso então é a sensação que temos 🤷🏼). Vote em quem quiser, mas ENTENDA QUEM É a pessoa que você está defendendo e QUEM É a pessoa que você está criticando. Pesquise. "Ele(a) nunca disse isso!" Nunca mesmo? Já procurou de verdade? "Ele(a) disse tal coisa!" Disse mesmo? Já pesquisou? "Ele(a) vai mudar tudo que ta errado!" Isso é possível? Já pesquisou COMO isso aconteceria? Não acha que talvez seja infantil acreditar nessa simplicidade? Se esforce para pesquisar e questionar COM A MESMA DEDICAÇÃO aquilo que confirma sua crença e aquilo que a desmente! Digo para nos esforçarmos porque esse é o oposto do que nosso cérebro quer fazer, já que ele sempre quer "evitar a fadiga". Temos que escolher deliberadamente fazer esse movimento se quisermos crescer como sociedade, como comunidade.
Somos animais e, como tais, temos nossa selvageria. Mas lembrem-se: somos racionais. Podemos E DEVEMOS aproveitar nossos recursos cognitivos para nos tornarmos seres humanos mais justos, éticos e responsáveis.
.
.


168

Mirian Bottan

Nós mulheres nos acostumamos a tratar o corpo como uma coisa separada de nós, uma forma destacada do conteúdo, sempre errada e incompleta, que carregamos por aí com muita dor e um tanto de ódio, já que ele insiste em ter vida própria e ser diferente do que aprendemos que deveria ser. Coitado do corpo, maltratado, desprezado e obrigado a cumprir a qualquer custo o papel mais bobo que já teve nesse mundo: o de se igualar.
O corpo, na verdade, é o único caminho para a vida. Seu papel é o de tornar possível o ser e o sentir. É graças a ele que experimentamos o cheiro e o toque de quem a gente ama. O gosto da comida preferida. A alegria da dança, a emoção do beijo, o conforto da cama quente no frio e a liberdade de um mergulho fresco no verão. O corpo é uma ferramenta perfeita, lar e amigo que protege e equipa a alma para que ela possa realizar seus sonhos. E limitar seu valor a qualquer coisa menor que isso não serve para nada além de sufocar e sequestrar a nossa vida.
Como dizia Eduardo Galeano, o corpo é uma festa! E com mais um verão chegando, bóra finalmente parar de arrumar a decoração e começar a curtir a nossa? #VivoMeuCorpo @naturabroficial #projetovidão


1,231

Mirian Bottan

"Entre a semente e a flor, há o tempo." 🌸
.
.
Artista: @escalafobetica_
.
#saudemental #autocompaixão #projetovidão


1,022

Mirian Bottan

Se Anitta tá gorda, o que é ser magra? Se o peito operado e com silicone continua errado, quando é que algum peito estará “certo”? Se Anitta não deveria mostrar seu corpo, que cumpre 100% o ideal de “perfeição” da nossa cultura, o que deveriam fazer as milhões de mulheres com corpos realmente gordos e peitos realmente caídos que não podem ou não querem “emagrecer ou entrar na faca”? Desaparecer do planeta? Cavar um buraco e se esconder pra sempre? Mas que coisa chata, tosca, limitada, ATRASADA!!!
Durante milênios (MILÊNIOS!!) a mulher foi tratada como um ser inferior, um objeto sem voz nem direitos, que era vendido, trocado, invadido, violado e usado para o prazer sexual e a reprodução de quem quisesse, pois sua vontade não importava. Durante o último século conquistamos alguns direitos sim, mas parece que o maior de todos ainda não rolou: o direito de SER UMA PESSOA, de existir e viver COMO A GENTE QUISER!
2018 tá acabando e se a gente tem o privilégio de ter alguma voz, é hora de gritar cada vez mais alto para esclarecer de uma vez pra quem ainda não entendeu: MULHER NÃO EXISTE PRA SER ENFEITE, PORRA!!!
.


5,617